24 de out de 2009

Um abraço para minhas amigas

Mais um dia, minha querida, em que você acorda sem desejar.
Outro dia, querida, que você precisa fazer coisas que te amedrontam.
Não se sinta sozinha. Hoje, escrevo para te fazer um carinho.
Podia te dar um abraço, um bombom, retocar-lhe a maquiagem... Passar um lápis preto em seus olhos tão inchados de chorar.
Hoje sou eu quem te faz um carinho, pequena.

Pra não deixar seu coração desbravador se convencer de que você não pode, não é.
Pra não deixar o mundo te dizer o que fazer.
Você é maravilhosa. Brilhante. Inteligente.
Você não teme o ridículo e o mundo se enche de risos quando você sorri.
Sua ousadia é furiosa e vem vestida de vermelho. Rodopiando pelas ruas.

Eles já não te amam mais. Seus pais não podem te dar abrigo. Sua casa é só um monte de tijolos.
Você não admite, mas tenta se refugiar nas regras que o mundo lhe impõe... Faz um grande ato para todos se orgulharem, e assim perdoarem sua maquiagem borrada, seu cabelo desalinhado, sua falta de bom gosto. Assim você tem um caminho, uma direção...

Não faça isso se a sua vontade não é um grito!
Hoje, sou que te amo. É em você que tenho fé. Então, você já pode escolher os próprios sapatos e o jeito de andar...
Hoje, sou eu quem te faz um carinho.
E te aconselho a ir correndo. Correndo o mais rápido que puder e quando tropeçar, estarei lá para os curativos.

4 de out de 2009

morgana ready-made



(Lygia Pape, Ttéia, 2002. Obra que arrepiou os cabelos do povo na Bienal de Veneza. É Brasil-sil-sil rs)

Acho tão lindo quando as pessoas acreditam em magia, porque daí eu me sinto menos boba de acreditar, de colocar o nome de um desafeto no freezer e "congelar a pessoa", de suspirar pra mim mesma um segredo na hora de dormir esperando que aquele ritual faça ele virar realidade, de queimar foto de ex-namorado e tomar banho de sal grosso. O Jorge Coli hoje na folha fez esse paralelo arte/magia. Ele relacionou magia com a coisa de "acreditar" na obra, a partir do momento em que se acredita operam-se mudanças de visao etc. É isso mesmo. É um nome no freezer, uma foto que você põe fogo pra ver se assim some a dor. A obra existe pra quem acredita, dependendo de quem acredita (um crítico, um comprador) ela vale mais ou menos, tem poderes invisíveis desligados de religiões. É a aura de paganismo que não abandona a arte. Porque, normalmente, quem gosta tem aquele pézinho no terreiro. E vamos diferenciar quem gosta de quem apenas se beneficia, já vi críticos que não sentem nada, só analisam. Seria péssima crítica, só sei ser sentimento com as obras.
Uma obra tem o significado da carta de tarot (a pessoa que vos fala tira tarot), onde vemos as cores, posições dos personagens e existem significados que vão sendo desvelados, vamos cortando véus espessos de "realidade" pra chegar na simbologia que existe naquela situação, com aquela determinada carta, é tudo muito instintivo, exige sensibilidade ao mesmo tempo que exige aquele conhecimento prévio. É a Pont Neuf encapada do Christo e da Jeanne-Claude. A ponte tem o significado de passagem de fases, possuir essa passagem, embrulhar ela como um presente, como um pacote que pode ser entregado, tem lá o seu significado, foi o que ele fez pra comemorar sua cidadania francesa. Eu fico toda arrepiada com essas coisas, mas pra quem não curte é só "uma loucurinha de artista".
E isso já fez muita gente rígida e cheia de razão duvirar da minha capacidade intelectual, ainda faz muitos professores torcerem o nariz e muitas tias velhas me tratarem como adolescente que não faz ideia do que é a vida. Já levei muita bronca, muito pito por ser "leviana": "isso aí é decoração, não serve pra nada", "tarot é idiotice".
No fundo continuo achando muito lindo, com essa palavra bem leviana mesmo "lin-do", tomar esses pitos e saber que existe o "Nós" e o "Eles". Eles não acreditam, logo, o segredo é Nosso. O que a gente vive, por ser acreditado e inventado não pode ser sentido passivamente. "Eles" talvez nunca vão sentir isso como a gente, precisam de mais pra sentirem prazer, mais dinheiro, mais bebida, mais comida, mais conquistas amorosas. O prazer deles é factual enquanto o nosso pode ser inventado.
Eles precisam de dinheiro e de certeza e a gente de piada e de sal grosso.

2 de out de 2009

pimenta nozóio dozotro

acho que esse post e esse post (em english) dizem tudo. Não me interessa, ele estuprou uma menina, ela poderia ser uma mulher de 30 anos na época e mesmo assim seria crime. Ela disse não e ele não ligou. É estupro e é crime, e impunidade é uma coisa que incomoda. Não me interessa se ele é um gênio, um mundo sem estupro é melhor do que um mundo sem filmes. O comportamento dele é típico de quem não tem limites, pode fazer o que quer baseado em ego, fama, poder, machismo...
Almodovar ter a campanha dele, eu tenho a minha:




1 de out de 2009

a voz dos outros

Que tal começar a falar com a própria voz? Com o próprio tom, e não aquele tom do "fala direitinho" dos pais e professores? Falar sem a intenção de agradar, apenas ser ouvida, como... um homem faria?
Que tal começar a pensar com a própria cabeça? Porque muito da sua "moral" e daquilo nos acostumamos a chamar de ética não passa de ideologia patriarcal, tão internalizada que parece natural. O que te faz anti-aborto? Quem te fez ser anti-aborto?
77% dos lideres anti-aborto são homens, mas eu aposto que os outros 23% são mulheres agradando aos pais, a deus, aquilo que lhe foi ensinado que era certo. É muito obscurantismo achar que o certo é nosso dever, que o certo deve não apenas existir, mas ser imposto. Isso de "estou certo, você é errado" é medieval, e no fundo vocês sabem, non?


* Tradução: 77% dos líderes anti-aborto são homens, 100% deles nunca ficarão grávidos. É o seu corpo. É a sua decisão. Programa de educação pública pró-escolha. É pró-escolha ou sem-escolha.