30 de jan de 2009

absolutely fabulous


Vi por aí que vão fazer um remake americano do Absolutely Fabulous. Alguém conhece? Esse seriado garantiu muitas madrugadas de comida e bebida desenfreadas com a minha mãe e minhas amigas (mami não bebe, mas enfim, come que é uma beleza). Edina e Patsy são duas amigas de longa data que estão sempre levemente...alteradas. E ainda temos a filha de Edina, Saffy, uma garota politicamente correta in-su-por-tá-vel, e a Bubble, o que a Bubble faz mesmo??
O seriado é recheado de piadas sobre bebida, cigarro, drogas, remédios (ahan! a tv britânica não é puritana) e algumas frustrações que as mulheres SE RECUSAM a assumir que têm: ter filhos arruina seu corpo, arruina sua mente, você quer ser magra (a todo todo custo), você quer ser jovem, você quer falar as frases que são publicadas nas revistas e assim vai.
Fica a dica, pra quem fala inglês tem os vídeos dos melhores episódios no youtube. Eu, no auge da minha bondade (foi o after-life, caiu o teto da editora e eu não tava embaixo, a gente cresce nessas coisas) traduzi as melhores "quotes" (frases) do seriado que estão no site da BBC:

Edina - Soon I'll be bendy like Madonna, darling. Then I'll be able to kiss my own ass from both directions.
"Logo eu serei flexível como a Madonna, querida. Aí poderei beijar minha própria bunda das duas direções" (Edina)

Patsy - 'Neat? She was so anally retentive she couldn't sit down for fear of sucking up the furniture!
"Arrumadinha? Ela era tão analmente retensa que não conseguia sentar de medo de sugar a mobília!" (Patsy - as melhores são dela)

Edina - "Darling, she's so cold she has her period in cubes"
"Querida, ela é tão fria que menstrua em cubos" (Edina)

Edina - Family? Family? God I hope you haven't invited that bloody, selfish, twofaced, chicken, bastard, pigdog man have you?
Saffy - You could just say dad
.
Edina - "Familia?? Familia?!? Eu espero que você não tenha convidado aquele homem maldito, egoísta, duas-caras, galinha, desgraçado, porco, convidou?
Saffy - Você poderia apenas dizer "seu pai".

Edina - What are you drinking Patsy?
Patsy - Chanel No. 5
"Edina: O que você está bebendo Patsy?
Patsy - Chanel No. 5."

17 de jan de 2009

Ainda na vibe pobreza

Recebi um e-mail incrível ontem no trabalho enquanto fazia o post... Preciso compartilhar! Não sei se as montagens são mesmo do pessoal do Kibeloco, mas se for... Crédito para eles!

Lá vai!









Tia Su, tia Val, tia Nena, tia Zefa e tia Nilda... Valeu, Cris! Por fazer minhas tardes produtivas! rs


Mudando super de assunto: acabei de votar em mulheres ótimas que trabalham na mídia, são competentes e se destacaram em 2009! No site do Troféu Mulher Imprensa tem as indicadas em várias categorias. Para quem quiser deixar seus votos ou só fuxicar as indicadas: toma aí!
beijomeliganão!

16 de jan de 2009

Repaginada no Ex

Crise. Várias matérias sobre como vai decair o estilo de vida das pessoas (se bem que a minha vida mudou nadicaaa... Já botava tudo em prática... rs*)...

Agora a revista New York tem uma dica incrível para economizar:


Recicle seus romances!
De acordo com a revista, fazendo uso do “ex” economiza-se cerca de US$ 2.400 ao ano! Pois pula-se as primeiras etapas da conquista, que podem ser caras. Como cuidar da beleza, dar presentinhos para impressionar, levar a lugares legais para sair... Então, chega lá no ex, olha com aquela carinha de pedinte (pois retomar com o cara irritante só para economizar é triste...) e vá ser feliz no amor!

Agora, quer uma dica?

Invista em um visual low com cara de intelectual (você pode usar as roupas da vovó, e do vovô), leva ele ou ela para comer um dogão e dá só uma "lembrancinha"!


É pouco, mas é de coração!

15 de jan de 2009

Rapunzel virou hippie

Reunião de início de ano e tantas mulheres reunidas e cheias de convicções para decidirem os rumos da revista em que trabalho. Acho que foi minha última reunião de pauta pela revista este ano, já que entro em um regime na editora e passarei por várias publicações. De qualquer forma, uma coisa me assustou bastante em mim e nelas.

Pautas de sexo? Nada diferente. Todas as mulheres do mundo querem mais é falar tudo o que sempre quiseram e fazem questão de reafirmar que são livres para isso. Moda? Beleza? Tudo igual. No entanto, não me lembro quem começou com uma história de desenhos, polaroids, revistas francesas do passado, cartas de amor...

CARTAS DE AMOR!?!?!?

What the hell???

Foi bem assustador o suspiro coletivo. E conheço bem a todas elas e a mim mesma. A menção das polaroids, as cartas de amor, os desenhos... Tão românticas. Saudosistas. Um sentimentalismo de que as publicações femininas que venho estudando mostram de uma forma tão sutil e que naquele momento (após o susto) começou a ser divertido. Não sei se já cheguei a comentar que as pessoas entre 8 e 28 anos hoje, seriam da chamada GERAÇÃO Y. Após a Segunda Guerra Mundial tivemos os Baby Boomers, depois a Geração X e agora a Y. Resumindo para a melhor frase que ouvi sobre a tal geração: Somos hippies pragmáticos.

Bom, pelo menos eu achei hilária... (dãr... Tá, só eu ri no dia...)

Hilária também foi a constatação de que ali dentro daquela reunião, estavam presentes mulheres que aprenderam a desprezar todas as princesas dos contos de fadas (principalmente a chata da Cinderela) e que usaram todo tipo de vocabulário para falar de sexo (TODO rs*), que discutiram uma campanha sobre gentileza, e como colocar Índia, Palestina e Israel na revista e cartas de amor, polaroids, fotos mais humanas... Isso me pareceu, de fato, que as cobranças (para as mulheres e para todos) são muitas... Em todas as áreas: pessoal, profissional, sexy-espiritual! E todos os hippies pragmáticos do mundo tentam diariamente oferecer o melhor da sua humanidade aos outros... Mas, sempre dá errado. Paciência.

14 de jan de 2009

pra boi dormir

vai falando que eu finjo que acredito, gatenha

Oito coisas que não tem como eu acreditar quando alguém fala. E já me falaram:
1) adoro chá verde, é uma delícia.
2) depilação? relaxo tanto que até cochilo.
3) minha sogra é uma pessoa incrível, queria que ela fosse minha mãe
4) a ex dele? adooooro ela! é tão legalzinha... ]
5) champagne? coisa horrível!
6) eu e meu ex somos amigos.
7) eu sou cabeça aberta!
8) Já li a Fenomenologia do Espírito inteira, em alemão, e adoreeei! (Hegel, gente, Hegel!)

Isso porque...

1) Olha querida, eu sei que tá na moda ser saudável. Desculpa, errei: é hypado. Então pode se encher de chá verde à vontade, eu tomo isso também, não é crime. Fale dos antioxidantes, que ajuda emagrecer (ajuda mesmo!). Mas não venha me dizer que você toma porque é GOSTOSO.
2) Dá pra acreditar que eu já ouvi isso? Se você é uma pessoa que não paga de superior frente à toda raça humana (logo, as pessoas que sentem dor) essa frase dispensa comentários.
3) Sua sogra pode ser "legalzinha" esse é o limite de bom-humor que ela pode ter com você. Acredite, você dorme com o filho dela. Ela não quer imaginar o que acontece com aquele pipi que ela uma vez encheu de talco. O mesmo vale em relação ao seu pai e seu namorado. Não força, ok? Fora que sua mãe pode ter todos os defeitos do mundo, todos mesmo, mas se você está viva hoje é por causa da sua mãe e nós bem sabemos que sua sogra te deixaria morrer que você precisasse ser alimentada, limpa e cuidada por ela.
4) Eu já fui amiga de ex de namorado. Bem amiga mesmo, mas posso dizer com certeza que meu namorado não era nenhum prêmio e que eu não gostava dele tanto assim. No momento eu tenho um sonho recorrente onde todas as pessoas que já ficaram com meu namorado estão juntas num avião que pega fogo. Mas isso sou eu...
5) Sempre sinto que quem diz que não gosta de champagne é porque nunca tomou um que fosse bom. Ou pelo menos no seu estilo. E acreditem pessoas tem champagne pra todos os gostos: doce, seco, light... Na verdade champagne mesmo é só aquele que é feito na França, o resto é vinho espumante, que, principalmente no calor, é beeeem gostosinho.
6) Ver item 4. Você já passou por muito com seu ex namorado, e por quase nada com um ex peguete. Dos dois jeitos foram feitas coisas que não podem ser esquecidas ou superadas. Vá arranjar amigos de verdade e pare de reciclar as pessoas!
7) Ninguém é cabeça aberta, a gente só se esforça muito pra ser. Assuma, você tem seus preconceitos, eu não acho errado. Errado é ferir alguém fisicamente ou verbalmente, ter preferências é apenas natural.
8) Aham. Me poupe.

13 de jan de 2009

o nível, minha filha, o nível!

Ano novo, guerra nova.

Gente, juro que to super cansada de ter que falar de Gaza. Cada pessoa que eu encontro me pergunta sempre de uma forma diferente (e mais escrota) o que eu tenho a dizer pra defender Israel. "Você que já foi pra lá", "você que gosta de judeu", "você que eu sei que vai defender".

o quê eu tenho a dizer sinceramente... sinceramente mesmo???

NADA! Não se defende genocídio e eu sou contra essa ofensiva.

MAS não pensem que eu sou pró Hamas ou que acho os palestinos todos uns coitadinhos. Não sou a favor da ofensiva, não sou sionista, e, por último, esse povo poderia ir estudar ao invés de ficar me perguntando as coisas.

Tenho vontade de escrever uns textos sobre Israel sim, mas não sei se agora é o momento. Existe muito pra ser dito, até por ser um país de antagonismos, mas no momento eu vejo que ninguém tá a fim de ouvir.

E to cansada de patricinha que morou na França vir dizer que os muçulmanos são ótchimous porque quando tavam na França namoraram um muçulmano e blá bla blá. Se você é vagabunda não me interessa, na verdade, se fosse freira também não interessaria. Chega de generalizações! Chega de esquerdinhas e direitinhas! E chega de achar que sua viagem te mostrou a verdade absoluta. A USP é foda mesmo.

E chega, chega mesmo de alternativos, o próximo que vier com a Edith Piaf pra cima de mim vai levar uma sapatada (tá super in fazer dessas agora). Cansei de vocês, vão viver o mundo da arte com erva e não me encham o saco.

Tudo isso eu digo porque

TÁ NA HORA DE SUBIR O NÍVEL DA DISCUSSÃO!

E por último, eu trabalho numa editora de esquerda. DE ES-QUER-DA. E aqui foi o único lugar onde ninguém me perguntou disso, deve ser porque o nível da discussão aqui é REALMENTE outro.
crianças israelenses e crianças palestinas. juntas. yes, we can!