31 de out de 2010

Reencontro

Hoje eu estou dilma uma alegria que não sabia mais existir em mim. Dilma uma alegria idealista, dilma uma paixão adolescente, dilma fé no futuro.

Crescer, estudar, abandonar os dogmas religiosos, descobrir teorias sem sustentação, tudo isso fez de mim um ser humano sem sonhos, sem ideais, sem motivos pelos quais lutar. Quase blasé (okay, nunca serei o blasé do CJE! JURO!).

Hoje, domingo de eleição, em que elegemos a primeira presidente mulher, não estou feliz porque acredito que Dilma será melhor governante que José Serra. Como todo brasileiro... EU TORÇO para que ela seja melhor que José Serra.

Eu estou na alegria de quem viu a sociedade patriarcal permitir a entrada de uma mulher na presidência.

Muita gente me criticou dizendo que eleição e futuro de um país não são questões de gênero. Você acha mesmo que “a questão de gênero” existe descolada? Que dá para você levantar ela quando for conveniente?

Quer um exemplo? Eu procuro não me deixar levar pelo preconceito, por isso apoio os muçulmanos em muitos conflitos com o Ocidente. Quando o Oriente me diz que vai apedrejar uma mulher, ou obrigar que ela use véu, isso é um desrespeito ao meu gênero, ao que eu sou. Não dá pra respeitar como "outra cultura". Só existe uma cultura que prevalece acima de todas: a de respeito.

Você é negro? Você é gay? Você é judeu? Então, você sabe que não se trata de Ocidente ou Oriente... Não importa a dicotomia... Você é minoria e é excluída. Não importa o que aconteceu na história ocidental europeia ou na África... Ela não foi escrita para mim ou por mim. A história não é das mulheres.

Por isso, eu digo... Não se trata de PSDB ou PT. Se trata de uma nação patriarcal, que tem sua base na Casa Grande, fincada na tradição como os pés de café que plantou... ter permitido que uma mulher chegasse ao poder!

É ler dos amigos homens frases lindas sobre democracia e apoio... Ou apenas votos sinceros... De acreditar que ela pode.

Eu sei que parece um discurso apaixonado de quem se reencontrou com 15 anos, sonhando com um futuro melhor. Mas, hoje, eu daria tudo para ter de volta as minhas aspirações.

Hoje, eu não quero pensar se a Dilma vai ou não vai me agradar ou me decepcionar. Só estou aproveitando a alegria explosiva de saber que a maioria do meu país confiou em uma mulher o seu destino. Isso é lindo.

Cada homem deve viver o seu próprio tempo. Cada mulher também. Hoje, estou feliz por vivê-lo.

Nenhum comentário: