2 de dez de 2008

coisas de criança


Daí que eu trabalho com livros, é isso aí, eu reviso, diagramo, faço capa, até ler eu leio! (verdade)
Daí também que a minha chefe é um gênio, um gênio muitas vezes desacreditado, pois ela tem aquela característica dos gênios: quando eles tem uma idéia e explicam pra você parece ser tão simples, uma coisa na qual qualquer mortal poderia ter pensado.
Ela decidiu que a gente ia fazer um livro infantil, mais especificamente da sala da filha dela. A idéia era simples: um livro de crianças feito por crianças, com os desenhos e frases da meninada. Eu odeio criança, mas adorei o projeto.
Foram meses, já que a gente não sabia fazer isso, tendo as idéias mais loucas.
Tiramos nossas blusas e cachecóis para escanear e fazer abres de capítulo, pensamos em cores, tratamos desenhos de crianças (argh) no photoshop. Trabalhoso, a little too much.
Mas o resultado foi um livro infantil como não existe em lugar nenhum.
Agora ela divulga ele nos jornais e nas livrarias, chega com aquele jeito engraçadinho, simples (por que não dizer... desacreditado?) e deixa os caras babando. Babando fuerte. O projeto é incrível e não existe em lugar nenhum mesmo e eu só consigo lembrar da voz do outro sócio "você tá é querendo publicar o livro da sua filha". ahan.
Estou exausta (o livro ainda nos rendeu uma viagem de 3h até a gráfica em Santo André na sexta, para que chegasse a tempo do lançamento).
Ele vendeu mais em lançamento do que todos os nossos outros, e eu olho pra ele toda hora em cima da mesa, reconhecendo cada linha, cada vírgula, cada roupa que a gente escaneou. É um livro com desenhos feios de criança, frases curtas de criança e pesquisa sobre um inseto que só agradaria... a uma criança.
Brilhante.

Nenhum comentário: