18 de dez de 2008

o riso e o esquecimento

"Lembrança ridícula e tocante: o primeiro salão, onde, aos dezoito anos, aparecemos só e sem apoio! O olhar de uma mulher bastava para intimidar-me. Quanto mais desejava agradar, mais me tornava canhestro. Tinha a respeito de tudo as idéias mais falsas; ou me entregava sem motivos, ou via num homem um inimigo, só porque me olhava com ar grave. Mas então, no meio dos terríveis males de minha timidez, como um belo dia era belo!"
Kant


detesto Kant, mas tem tanta coisa que eu detesto e mesmo assim engulo. engolir é um verbo magnífico para expressar certas coisas, me faz pensar em remédio, que não se come, se engole. esse trecho me lembra alguém cujo passado me incomoda. mas de quê adianta lembrar o passado de alguém quando eu mesma ignoro o meu?

muita divagação, essas coisas de morrer deixam a gente assim. peguei gripe e achei que ia morrer, menina mimada rs rs.

(começo a me recuperar de uma gripe matadora, e talvez de algumas neuroses)

Um comentário:

lola aronovich disse...

Puxa, o blog de vcs parece muito legal! Quando eu tiver mais tempo vou voltar pra ler. Abração!