3 de dez de 2008

ser mulher - parte 2

"Tudo o que não aconteceu com você – eu digo isso de mim mesma como uma parte daquilo que sobrevivi – tudo que não aconteceu com você é uma pequena folga na sua coleira. Você não foi estuprada quando tinha três anos, ou quando tinha 10. Ou não foi espancada ou prostituída, de qualquer forma que você tenha conseguido escapar disso, essa é a medida da sua liberdade. E a medida da sua força. E aquilo que você deve a outras mulheres. Não estou pedindo para que vocês sejam mártires, não estou pedindo para desistirem de suas vidas. Estou pedindo para que vivam as suas vidas, com honra e dignidade. Estou pedindo para que lutem. Estou pedindo para que façam coisas para as mulheres que elas mesma fazem o tempo todo na luta política pelos homens. Certo? Nós mulheres colocamos nossos corpos na linha de frente nas lutas políticas nas quais os dois sexos estão envolvidos. Eu não estou pedindo para que vocês sejam pegas, estou pedindo que corram por suas vidas. Se precisarem atravessar uma parede feita de tijolos, atravessem. Se você tiver feridas nos braços é melhor do que dar a "ele" as feridas porque você ficou parada. Nenhuma de nós tem o direito de ficar parada" (traduçao livre minha)

Andrea Dworkin - líder feminista no texto Terror, Torture and Resistance (Terror, Tortura e Resistência), sobre a necessidade de resistir quando se trata de violência contra a mulher. Atualmente, uma em cada três mulheres é estuprada. E isso se tornou normal. Ser feminista não é odiar homens, é dar às mulheres o direito de serem seres humanos.




hollywoodianos apoiam o feminismo.

Nenhum comentário: